PROGRAMAÇÃO

16/03
17/03

09:00

Abertura ENFLADU 

Organizadores

Professores

18/03
19/03

10-12h

Palestra

Patricia Michelini

Bate-papo 

Luis Beduschi

Bate-papo 

António carrilho

Bate-papo

Isabel Favilla

14h-17h30

Master Class

David Castelo

Master Class

Luis Beduschi

Master Class

António Carrilho

Master Class

Renata Pereira

19:00

RECITAL BÔNUS

Quarteto Sopro Clássico

20:00

CONCERTO

António carrilho

CONCERTO

Camerata Antiga de Uberlândia

CONCERTO

David Castelo

CONCERTO

Luis Beduschi

CONCERTOS

António Carrilho - A mensagem sagrada no instrumentário barroco: Os mistérios de Alegria/ Mistérios Dolorosos/ Mistérios Gloriosos/ o Anjo Guardião na obra de H. I. F. Biber

 

Terça-feira

16/03

20:00

Verbo, palavra, meditação. Durante séculos a música desempenhou um papel predominantemente funcional ao serviço da palavra, decorrendo fundamentalmente no seio da vida monástica. Por essa razão, a música composta durante os primeiros séculos do período medieval foi conhecida como melismática, ao sabor do tempo de recitação. Somente na baixa Idade Média começamos a deparar-nos com o surgimento do contraponto, da música pensada verticalmente e, portanto, com um tempo definido. Pela primeira vez, a palavra passou a ter de se submeter a uma métrica determinada. No entanto, a ideia de recitação regular, cadenciada por um determinado tempo, não foi apenas determinada por exigências musicais. Ela cristaliza-se com o surgimento do Terço, por volta do século XIII, ligada diretamente ao culto Mariano. A prática do Rosário, assente no exercício da fé e da meditação, tornou-se popular em toda a Europa, mesmo depois da Grande Reforma Luterana, ocorrida no século XVI. Efetivamente, o seu poder foi de tal ordem que assistimos à sua evocação não apenas por palavras, mas também através da música. Este é o caso do conjunto das Sonatas do Rosário, ou Sonatas dos Mistérios, do compositor germânico Heinrich Ignaz Franz von Biber (1644-1704).

 

 

H. I. F. Biber                 Rosenkranzsonaten - As sonatas do Rosário
(1644-1704)               

Mistérios de Alegria
A apresentação de Jesus no templo
Sonatas do Rosário, parte I

Mistérios Dolorosos
A coroa de espinhos
Sonatas do Rosário, parte II

Mistérios Gloriosos
A Assunção da Virgem
Sonatas do Rosário, parte III

O Anjo Guardião
Passacaglia

 

Camerata Antiga de Uberlândia - Trechos da Série de Concertos 2020

 

Quarta-feira

17/03

20:00

Trechos de concertos da série 2020 da Camerata Antiga de Uberlândia, com obras de Haendel, Bach, Boismortier, Mancini e outros mestres barrocos.

- Handel, G. F. – Trio sonata para flautas doces, HWV 405

                           I. Allegro    II. Grave    III. Allegro

- Philidor, A. D. – Sonata para flauta doce
                           I. Lentement     II. Fugue     III. Courante     IV. Les notes égales et détachez    V. Fugue   

- Boismortier, J. B. – Sonata para três flautas e baixo contínuo, Op. 34 N. 3

                           I. Andante II. Presto III. Adagio IV. Allegro

- Bach – Gottes Zeit ist die allerbeste Zeit BWV 106

 

- Bach, J. S. – Aria: 'Schafe können sicher weiden' BWV 208

- Mancini, F. – Sonata para flauta doce e baixo contínuo em Ré menor

                         I. Amoroso II. Allegro III. Largo IV. Allegro

- Mattheson, J. – Sonata para três flautas, Op. 1 N. 3

                        I. Prelude. Adagio II. Allegro III. Chaconne

 

Quarteto Sopro Clássico – Viagem musical: o encontro do erudito e popular através da Flauta Doce em quarteto

Quinta-feira

18/03

19:00

A concerto abordará obras eruditas e populares escritas ou arranjadas para quarteto de flautas, de forma a demostrar as diversas possibilidades do instrumento e os variados estilos musicais possíveis.

 

Edu Lobo                                         No cordão da saideira


Osvaldo Lacerda                             Cançoneta


Pixinguinha/Otávio de Souza          Rosa (arr. Marcos Leite)


Tchaikovsky, P. I.                             Extratos da obra “O Quebranozes”


Bach, J. S.                                       Fuga em Gm – BWV 578 (arr. G. Andreola)


The Beatles                                     Eleanor Rigby (arr. Alexandre Zilahi)


Scott Joplin                                      The Entertainer (arr. R. D. tennent)

 

David Castelo

Meditações: Música Contemporânea para Flauta Doce

 

Quinta-feira

18/03

20:00

Concerto com obras contemporâneas dedicadas à Flauta Doce.

O Recital “Meditações” é parte da parceria institucional da entre a Associarte, ENFLADU e a Universidade Federal de Goiás (UFG) através Projeto de Extensão Universitária “Divulgação de compositores contemporâneos para flauta doce”. O referido projeto encontra-se ativo no âmbito da Escola de Música e Artes Cênicas (EMAC-UFG).

 

 - Matthias Maute (*1963)                 Fantasie II
1.      Preludio
2.      A tempo giusto
3.      Adagio
4.      Allegro
 
 - Karel van Steenhoven (*1958)      Dos 7 Prelúdios Minimalistas
                                                         III. Shades
(dedicado a John Adams)
 
 - Isang Yun (1917-1995)                   Das “Pinturas chinesas
                                                          The Shepherd’s Flute
 
 - Karel van Steenhoven (*1958)       Dos 7 Prelúdios Minimalistas
                                                          II. Just a song
(dedicado a Michael Nyman)
 
 - Matthias Maute (*1963)                  Fantasie I
                                      I. Presto  II. A tempo giusto  III.  Andante   IV. Allegro

 

Luis Beduschi - Allemandes, Courantes, Sarabandes, Gigas e outras fantasias para flauta solo

Sexta-feira

19/03

20:00

Durante alguns minutos serão exploradas algumas peças e devaneios de um flautista imaginário do século XVIII. 
São abordadas peças amplamente divulgadas por manuscritos e cópias por toda a Europa, com ênfase em repertório popular na Alemanha.

 

 

 

PALESTRAS

BATE-PAPOS

Bate-papo: Transcrições para Flauta Doce, Carreira

 

Terça-feira

16/03

10:00

António Carrilho

Bate-papo com o flautista português António carrilho.

 

Palestra: Diretrizes para a pesquisa sobre flauta doce em fontes históricas

Quarta-feira

17/03

10:00

Prof. Dra. Patrícia Michelini

Todo estudante de flauta doce interessado em se aprofundar no repertório medieval, renascentista e barroco vai se deparar com questões relacionadas aos estilos musicais desses períodos, tais como ornamentação, articulação, sonoridade e fraseado. Muito embora as fontes de pesquisa mais comumente acessadas na internet (google, wikipedia, youtube) forneçam uma quantidade enorme de informações e tutoriais, nem sempre elas dão conta de solucionar dúvidas mais específicas. Será então necessário partir para a pesquisa nas chamadas "fontes históricas", ou seja, tratados, manuais, métodos, ensaios e compêndios oriundos dos séculos XV a XVIII, muitos deles disponíveis para acesso em bibliotecas virtuais e sites como IMSLP. Diante desta enorme quantidade de livros tão atraentes quanto instigantes, não é raro que o flautista se sinta um pouco perdido em sua empreitada; afinal, escolher as fontes mais adequadas e saber decifrá-las é mesmo uma tarefa desafiadora. Nesta palestra pretendo oferecer diretrizes para facilitar este processo. Na primeira parte serão estabelecidas categorias de textos a fim de que seja possível detectar quais deles são mais adequados à natureza da pesquisa; na segunda, será proposto um roteiro/questionário para ajudar a direcionar a investigação; por fim, indicarei uma lista de fontes primárias e secundárias que atendem às necessidades básicas do estudante de flauta doce.

Documento

Compilado de tratados e métodos históricos

Bate-papo: Carreira e formação na Europa, Álbuns lançados, perspectivas da Flauta Doce no Brasil

 

Quinta-feira

18/03

10:00

Luis Beduschi

Bate-papo com o flautista Luis Beduschi sobre sua carreira flautística.

 

Bate-papo: Carreira e formação em Flauta Doce e Instrumentos Antigos

Sexta-feira

19/03

10:00

Isabel Favilla

A partir do seu depoimento sobre sua trajetória até aqui, Isabel irá discutir diferentes tipos de formação em flauta doce/instrumentos antigos , possíveis caminhos profissionais a serem trilhados com nosso instrumento e as habilidades que cada um desses caminhos requer de cada músico.